Couro do presente e do futuro: conheça o tecido que dispensa processos de impermeabilização e hidratação

200

O revestimento que só tem benefícios apresenta uma base em 100% couro natural com uma superfície de alta performance, é tradição e tecnologia que resultam em durabilidade e elegância para a decoração

Couro do presente e do futuro: conheça o tecido que dispensa processos de impermeabilização e hidratação - TAURUS
Suíte decorada pelo arquiteto Anderson Leite, com a poltrona Pitu, do designer Aristeu Pires. A peça foi revestida com tecido Taurus, da Dino Zoli Brasil | Foto: Photo Arch Thais Oliveira

Clássico no décor, o couro é uma ótima opção para trazer sofisticação a qualquer estilo de vida, tornando-se queridinho na preferência de arquitetos e designers de interiores do país. No entanto, o couro requer alguns cuidados na hora limpar, além da necessidade de uma hidratação periódica. O avanço da tecnologia para a indústria têxtil oferece novas possibilidades no que se refere à produção de tecidos, e sinaliza mudanças consistentes na forma de como eles são pensados e produzidos. Há quem não abra mão do visual do couro, com textura e efeitos únicos, mas prefere um revestimento que possibilite além da praticidade de limpeza, uma super resistência e durabilidade.

A exemplo disso, a Dino Zoli, marca italiana de tecidos com representação no Brasil há quase 30 anos, conta com a linha Taurus, lançada no portfólio como o couro do presente e do futuro. Com altíssima qualidade, o produto é um híbrido que mistura tecido com uma base 100% em couro natural e um acabamento em PU (Poliuretano) de alta solidez, dispensa processos tradicionais de manutenção, como de impermeabilização e hidratação, por sua flexibilidade e alta performance em resistência à abrasão, é indicado para uso no dia a dia, até mesmo em ambientes de tráfego mais intenso, como hotéis e restaurantes. “Para a manutenção e vida longa do Taurus, basta manter os cuidados essenciais com pano macio e úmido”, destaca Elizabete Cristina Ambiel Serpa, CEO da Dino Zoli Brasil.

Com a tecnologia aplicada ao Taurus, o consumidor tem uma garantia de 5 anos contra defeitos de fabricação, garantindo um visual plenamente impecável e sem as características tradicionais do couro natural: como os sinais de ressecamento e o efeito craquelado.

Couro trinca, Taurus não!

Couro do presente e do futuro: conheça o tecido que dispensa processos de impermeabilização e hidratação - TAURUS1
Poltrona e bancos com tecido Taurus, da Dino Zoli Brasil | Foto: Divulgação Prodomo Design e Sami Móveis

A coleção Taurus ressalta seus atributos de resistência ao desgaste e não propagação do fogo (ou das chamas). “O desenvolvimento e o processo produtivo do nosso material possibilita que ele mantenha o aspecto original, bem como a solidez da cor sob luz artificial”, enfatiza Elizabete. Sua estética e propriedades se revelam como ideais para o décor residencial, bem como de espaços corporativos, como escritórios, até locais de grande movimentação de pessoas, como cafeterias, restaurantes, lojas e hotéis.

“A Dino Zoli demonstra como a tecnologia têxtil tem evoluído ao longo do tempo, oferecendo, além de tramas e texturas, muitas cores atuais – uma combinação perfeita para os ambientes internos e externos”, relaciona a CEO da empresa que está instalada na cidade de Indaiatuba, interior de São Paulo.

Couro em cores: mobiliário e ambientes diversos

Couro do presente e do futuro: conheça o tecido que dispensa processos de impermeabilização e hidratação - TAURUS2
Foto: Photo Arch Thais Oliveira
Couro do presente e do futuro: conheça o tecido que dispensa processos de impermeabilização e hidratação - TAURUS3
Tecido Taurus tem alta durabilidade e toque diferenciado para os mais diversos designs de mobiliários| Foto: Photo Arch Thais Oliveira

O couro pode ser usado não só para estofados, mas também para banquetas, bancos, cabeceiras e muito mais. “As possibilidades para este material natural são infinitas, combinando técnicas tradicionais com inovações para atender às necessidades de hoje. É um material natural, belíssimo e atemporal”, finaliza Elizabete.