Visita a 30ª Edição Casa Cor SP 2016

331

A Casa Cor São Paulo 2016 chega em sua 30ª edição. Esse ano um pouco menor que os anos anteriores, mas nem por isso menos interessante.
Os 70 ambientes da Mostra acontecem no antigo ambulatório do Jockey e fica difícil eleger os melhores, porque estão todos com um nível bem alto.

O uso de papel de parede continua em alta, mas dá pra notar novas formas de colocação como por exemplo seu uso no teto, compondo com gesso e iluminação no Hall da Biblioteca, e papéis de parede com colocação aleatória e aplicações de folhas como “decoupage” no Estúdio de Criação de Esther Giobbi.

Nesses dois ambientes, assim como em muitos outros, a presença de folhagens, fosse em revestimento, ao natural e até em luminárias esteve muito presente, assim como a cor verde em todas as suas tonalidades, do pastel aos tons mais fortes. Em contrapartida ao verde, se vê também a presença do rosa claro (rose quartz), presente em objetos, mobiliário e até mesmo no ambiente todo de Leo Romano com móveis autorais da linha bailarina como a mesa e aparador com os pés que remetem à imagem da bailarina estilizada.

O pano de fundo que percebemos nessa edição da mostra é um retorno, uma releitura dos anos 30, passando pelo Art Deco até as influências do modernismo dos anos 70 com fortes traços de brasilidade presente como já disse, nas vegetações, design de objetos e mobiliário e em quadros que compunham as paredes.

Aliás, na parede há sempre quadros feitos de fotos que foram praticamente unânimes em todos os ambientes que os expunham. Colocados com diversas composições, em preto e branco ou coloridos, de renomados fotógrafos ou não, foram destaque nessa Casa Cor.

Outro destaque é o espaço Deca assinado por Marina Linhares que além de muito agradável e com uma bela vista da pista do Jockey, apresenta os lançamentos com destaque para as novas cores e diferentes acabamentos nos metais.

Como sempre, vale a pena conferir a Casa Cor SP!

Texto
Arq. Marília Gallo

Fotos por Carmen Saucedo