Sir Norman Foster & Partners em Londres por Ana Paula Barros

311

Sempre desejei conhecer Londres por me identificar muito com a cultura, adoro bandas “brit”, a liberdade, o clima melancólico, nublado e ao mesmo tempo ousado, autêntico e principalmente pela arquitetura e design, inclusive gráfico (existem agências incríveis e tive a oportunidade de conhecer a Glue!, um amigo brasileiro está há mais de 5 anos nesta empresa).

Só não imaginava que me apaixonaria ainda mais por tudo isso!

Londres é uma mistura, um caldeirão! É muita informação, muita coisa bacana acontecendo, o olhar a cada momento é surpreendido seja por um prédio, algum grafite em um muro ou look chocante, divertido de algum transeunte.

Além disso, há uma infinidade de museus, parques lindos, pubs e redutos de tribos urbanas como o Candem Town.

Um dos meus interesses nessa viagem ocorrida em Maio/2010 foi explorar alguns ícones da arquitetura contemporânea estudados durante a faculdade, em especial, projetos de Norman Foster and Partners.

Estes exemplos ficam relativamente próximos uns aos outros, uma boa caminhada com algumas paradas em cafés e restaurantes charmosos como a rede Itsu e pode-se conhecê-los todos no mesmo dia.

Circuito Arq+Decor Itsu_Butterfly_In_Flight- Sir Norman Foster & Partners em Londres por Ana Paula Barros ARQUITETURISMO
imagem: http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Itsu_Butterfly_In_Flight.jpg

O primeiro e talvez mais polêmico edifício (em função de sua forma) é o 30 St Mary Axe (2001-2004), também conhecido como Gherkin (“Pepino”) é um arranha-céu com 180 metros de altura, que consome metade da energia que um prédio do mesmo porte. Está localizado no distrito financeiro de Londres e pode ser visto de diversos pontos da cidade.

Circuito Arq+Decor 30StMaryAxe Sir Norman Foster & Partners em Londres por Ana Paula Barros ARQUITETURISMO

Foi um dos primeiros arranha-céus sustentáveis de Londres, o sistema de 5500 painéis de vidro da fachada são o destaque que colaboram com o máximo aproveitamento da luz solar e que possuem um mecanismo automático de abertura que amplia o sistema de condicionamento de ar natural de acordo com o vento e o sol.

Qual não foi minha surpresa ao estar caminhando à procura deste edifício e me deparar com o Lloyds Bank (1978-1986) de Richard Rogers. É uma estrutura impressionante, com o céu cinzento, toda a circulação vertical (escadas, elevadores, dutos e cabeamentos elétricos e tubulações de água) fica do lado externo, revestida em aço inoxidável, assim todo o interior do edifício é mais organizado com total aproveitamento dos espaços.  Com cerca de 88 metros de altura, é constituído por três torres principais e três torres de serviço em torno de um espaço central retangular.

Circuito Arq+Decor lloyds-bank Sir Norman Foster & Partners em Londres por Ana Paula Barros ARQUITETURISMO

Às margens do Tâmisa, a City Hall, contrasta com o entorno histórico. O edifício situa-se em frente à Torre de Londres e próximo à Tower Bridge. Possui um formato diferenciado: uma esfera inclinada e, sua fachada, composta por painéis de vidro permite avistar a rampa em espiral com 250m de comprimento que distribui as atividades no prédio. É a sede da Prefeitura de Londres e abriga além do gabinete do prefeito e da câmara, os quase 500 membros da Greater London Authority (GLA), uma autoridade regional que regulamenta questões referentes ao transporte, policiamento, desenvolvimento econômico, entre outros.

Circuito Arq+Decor Untitled-1 Sir Norman Foster & Partners em Londres por Ana Paula Barros ARQUITETURISMO

O fantástico é poder entrar e percorrer a extensa rampa até o limite de um auditório, dali para cima o acesso é restrito pois encontra-se o gabinete. Mas vale muito a pena conhecer e ter uma vista daquela região.

Circuito Arq+Decor city-hall-2 Sir Norman Foster & Partners em Londres por Ana Paula Barros ARQUITETURISMO

Por último, neste pequeno roteiro, a Millenium Bridge (1998-2000), uma ponte com estrutura em aço para pedestres suspensa sobre o rio Tâmisa, com 320 metros de extensão. Seus corrimãos em aço inox e plataformas em alumínio são sustentados por apenas dois elementos verticais o que confere uma leveza e um desenho delicado mesmo com esta extensão. Os créditos desta ponte também são de Sir Anthony Caro (escultor) e a empresa responsável pela engenharia e cálculos estruturais complexos, a Oven Arup & Partners, que além de considerar o impacto de ventos (em condições extremas podem atingir até 137km/h!), segurança (principalmente) e iluminação preocupou-se com o impacto ambiental, realizando estudos geotécnicos e marítimos.

Circuito Arq+Decor millenium-bridge Sir Norman Foster & Partners em Londres por Ana Paula Barros ARQUITETURISMO

Esta é uma pequena amostra do que se pode ver em Londres. Existem inúmeros outros edifícios a serem explorados, lugares incríveis. Vale a pena conhecer, aliás, como qualquer lugar bacana neste mundo!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here