Edifício em Taiwan feito com garrafas de plástico

360

Um grupo de arquitetos de Taiwan anunciou que está construindo, com ajuda da empresa “Far Eastern”, um edifício feito de 1,5 milhões de garrafas de plástico recicladas.

O prédio, nomeado de EcoARK, visa ampliar a conscientização e o interesse mundial para a importância da reciclagem. A estrutura de três andares possui um anfiteatro, uma sala de exposições, e uma tela que coleta água em períodos chuvosos para usar como ar condicionado. Os designers disseram que ele é “o mais leve, móbil e respirável milagre ambiental do mundo”.

As garrafas de lixo de Taiwan foram transformadas em recipientes de plástico que se interligam com força suficiente para bloquear os elementos e resistir a tempestades e até terremotos, disse Arthur Huang, diretor-gerente da construtora Miniwiz Energia Sustentável Development Ltd. “Ninguém no mundo construiu um salão de exposições com paredes feitas inteiramente de garrafas”, disse ele.

Quando perguntado sobre o que inspirou o monumento à reciclagem, Huang diz que a idéia veio, literalmente, do lixo: “Quando estávamos pensando sobre que tipo de lixo poderíamos utilizar para fazer uma construção ecológica e de baixo carbono, olhamos para o nosso lixo e percebemos que era composto, em sua maioria, de garrafas PET. A partir daí foi se desenvolvendo a idéia. “

O EcoARK e a demanda por uma melhor gestão de resíduos que ele representa não poderiam vir em um momento melhor para Taiwan. Estima-se que apenas quatro por cento das garrafas plásticas do país são recicladas ou reutilizadas – e, com 2,4 bilhões de garrafas utilizadas anualmente, a situação estava perto de atingir um nível crítico. O projeto custará US$ 4,22 milhões e será doado, no próximo mês, à Prefeitura de Taipei para ser utilizado como sede de exposição durante o International Flora Expo, em novembro.

O que faz o EcoARK tão impressionante, além de sua pegada de baixo carbono e uso magistral de garrafas recicladas como material de construção, é a sua beleza puramente estética. Ele demonstra que não há limites para o que pode ser criado quando você se dedica o suficiente a um problema ou, neste caso, a uma lata de lixo.

fonte: Lara Nunes – www.portaldoarquiteto.com