Consumo de água: vazamentos podem gerar cobrança de tarifa de contingência

145

A cobrança adicional tem ônus de 40% a 100% no valor do consumo de água. Pela utilização de métodos de detecção eletrônica, serviços de caça-vazamentos Roto-Rooter encontram até os vazamentos mais difíceis, não visíveis.

Embora as chuvas deste ano tenham trazido alívio à crise hídrica e rompido com a dependência de abastecimento pelo volume morto dos reservatórios, a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) continua cobrando a tarifa de contingência para os consumidores que ultrapassam a meta atribuída para cada residência. O ônus, em vigor desde fevereiro de 2015, pode encarecer a conta em 40% para as residências que excedem a média de consumo em até 20% e duplicar o valor da conta de consumo quando esse percentual ultrapassa os 20%.
Para evitar multas e acréscimo no valor da fatura, um ponto de atenção, tão importante quanto o uso racional da água, é a detecção de vazamentos. Mesmo os de pequena proporção podem encarecer a conta de consumo. “Muitos vazamentos de água não são visíveis, porque não afloram à superfície. Mas há tecnologia disponível para que sejam detectáveis”, afirma Mauro Leite, da Roto-Rooter, empresa especializada em caçar vazamentos por métodos de detecção eletrônica em sistemas de drenagem, esgoto e todos os tipos de tubulações.
Segundo Leite, mesmo os pequenos vazamentos são vilões da conta de água, podendo causar grandes perdas físicas. “Fazer a manutenção em torneiras, válvulas, bóias de caixas e registros pode representar até 25 % de economia no consumo de água.” De acordo com a Sabesp, uma torneira pingando desperdiça quase 1,5 mil litros de água mensalmente; o problema em uma válvula de descarga do sanitário pode desperdiçar até 4,3 mil litros de água em um mês e um filete de apenas 4 mm em um encanamento representar um desperdício mensal de 13.260 litros.

Caçando vazamentos

Muitos vazamentos em canos e torneiras residenciais podem ser facilmente encontrados, bastando, para isso, a adoção de técnicas simples e um pouco de paciência para observação. Para caçar vazamentos em casa, o especialista da Roto-Rooter sugere o seguinte passo a passo:

1. Fechar todas as torneiras, interrompendo o uso da descarga e de todos os aparelhos ou equipamentos que usam água;

2. Ler o relógio (hidrômetro): sem fechar os registros, anotar o número marcado no visor do hidrômetro, esperar uma hora e refazer a leitura. Caso o ponteiro tenha andado e o número no visor sofrido alteração é sinal de vazamento na casa.

3. Nos canos alimentados por caixas d’água, marcar o nível da água da caixa e verificar, depois de uma hora se houve alterações. Caso o nível tenha baixado, é sinal de que há vazamentos na tubulação ou sanitários.

4. Nos vasos sanitários com caixa acoplada, retirar a tampa da caixa e pingar algumas gotas de corante. Observar, após alguns minutos, se o vaso ficou colorido.

5. Nos jardins, notar se há áreas com terra mais fofa e úmida ou plantas mais crescidas em uma área do que em outras. Isso pode indicar vazamento.

6. Fazer um teste acústico, isto é, dar batidas com a mão fechada na extensão do encanamento que percorre a parede e ficar atento para sons diferentes. Vazamentos desse tipo também deixam sinais aparentes nas paredes, como relevos (bolhas) e manchas na pintura.

Esses cuidados simples, que podem revelar locais de vazamentos, além de evitar desperdícios, podem diminuir o preço da conta de água e até mesmo representar economia na hora de requerer serviços de um profissional habilitado para reparos.

Serviços:

www.rotorooter.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here